Blogs Portugal

Siga por Email

Sinopse: Após dois anos de fuga, Lissa, a princesa da elite de vampiros Moroi, e a sua amiga e protectora Rose são apanhadas e arrastadas de novo para a Academia São Vladimir, escondida nas profundezas da floresta de Montana. Ai, Rose deverá continuar a sua formação de Dhampir, enquanto Lissa será educada para se tornar rainha. 
No entanto, é dentro dos portões de São Vladimir que a segurança de Lissa e Rose se encontra mais ameaçada. Os horríveis e sanguinários rituais dos Moroi, a sua antureza oculta e o seu fascínio pela noite criam um enigmático mundo repleto de complexidades sociais. 
Rose e Lissa vêem-se forçadas a deslizar por este perigoso mundo, resistindo à tentação de romances proibidos e sem nunca baixarem a guarda, ou os vampiros rivais farão de Lissa uma Strigoi para a eternidade...

OpiniãoUm dos aspectos únicos do mundo criado por Richelle Mead é a sociedade em si, recriada a partir do folclore romeno. Conceitos que, aliás, nunca tinha lido antes. Os nomes "dhampir", "moroi" ou "strigoi" eram-me completamente desconhecidos, embora uma rápida pesquisa indique outras obras literárias com a mesma influência.
Academia de Vampiros, penso eu, é uma obra minimamente conhecida, quanto mais, o título. Depois de Crepúsculo de Stephanie Meyer, agora a ganhar uma nova versão, houve uma explosão de livros vampíricos, entre eles, Academia de Vampiros e, sou a primeira a concordar que foi...saturante. Outro factor contra Academia de Vampiros, para além do facto de retratar personagens vampíricas a que alguns podem ter ganho aversão, foram as capas que, na mais sincera das palavras são horrendas. Mas, garanto-vos que em nada, absolutamente nada, retratam a excelência que está no interior, na maior parte das vezes, retratada sob o nome de Rose Hathaway, a protagonista.
Richelle Mead criou uma protagonista fantástica. Narrado na primeira pessoa, temos um lugar na frente de tudo o que passa pela cabeça de Rose, uma dhampir de dezassete anos, inteligente, arrogante e sarcástica, cujas passagens eram um deleite de ler:«Lissa e eu éramos melhor amigas desde o jardim-de-infância, a nossa amizade começara no dia em que a professora nos sentara juntas nas aulas de Gramática. Obrigar crianças de cinco aninhos a pronunciar Vasilisa Dragomir e Rosemarie Hathaway era de uma enorme crueldade, mas nós, ou melhor, eu respondera em conformidade. Atirara com o livro à professora e chamara-lhe sacana fascista. Não sabia o que é que essas palavras queriam dizer, mas sabia como acertar num alvo em movimento.»
Para além disso, a autora criou toda uma envolvência em torno da Academia São Vladimir e, em poucas páginas, as imagens de arquitectura gótica, as florestas e mesmo o interior, tornam-se fáceis de imaginar. A escrita introspectiva facilitou a inserção num mundo que me era estranho mas que me proporcionou uma quantidade enorme de divertimento. A essência do livro, flui com uma facilidade surpreendente e, embora o meu primeiro contacto com o mundo criado por Richelle Mead tenha sido através do grande ecrã, posso dizer, com toda a franqueza, que, mais uma vez, a qualidade de um filme não retrata a qualidade de um livro.
Uma das curiosidades em relação a Academia de Vampiros, é a dualidade de pontos de vista, embora esta não seja óbvia. A ligação que Richelle Mead criou entre Lissa e Rose possibilita-nos entrar em profundidade na mente da primeira, de tal modo que há, efectivamente uma evolução na sua personagem que, sem a ligação, não teríamos, de todo percebido e, embora o ambiente escolar e a existência de magia, recorde outros livros como Marcada de P.C.Cast e Kristen Cast (cuja opinião podem ver aqui), a qualidade da Academia de Vampiros é, muito, maior, pelo menos a meu ver, em grande parte, devido à protagonista.
Não é um livro romântico, pelo contrário. É um livro recheado de intrigas, de mistério e de magia e, embora haja romance, não é insuportável de ler, ou seja, não é lamechas, sobretudo, devido à presença de espírito de Rose nas melhores e nas piores situações. Não é, igualmente, um livro fácil de descobrir. Richelle Mead guardou bem os seus segredos, embora aqui e ali, hajam pistas de possíveis acontecimentos futuros, em grande parte, discussões entre Rose e Dimitri, por quem ganhei algum afecto.
Outros títulos da colecção
*Academia de Vampiros
*Beijo Gelado
*O Beijo das Sombras
*Promessa de Sangue 
*Spirit Bound
*Last Sacrifice

*Bloodlines
*The Golden Lily
*The Indigo Spell
*The Fiery Heart
*Silver Shadows
*The Ruby Circle

Outros livros da autora
*Soundless


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO