Blogs Portugal

Siga por Email



OpiniãoOs efeitos especiais, a parte fantástica da história, está extremamente bem desenvolvida e, embora não tendo ido ver o filme em 3D ou em IMAX acredito que nesse formato o cliente irá ter uma experiência muito mais enriquecedora. Acredito igualmente que, embora esse ponto seja de louvar, incrivelmente bem formatado, acredito que os fãs do trabalho de Joseph Delaney, não fiquem igualmente agradados. Fiquei surpreendida quando li a sinopse do livro (retirado do site Bertrand): O Aprendiz de Mago conta ao leitor a história de um menino de 13 anos treinado para ser exorcista. Thomas Ward, o sétimo filho de um sétimo filho, foi eleito para exorcizar os maus espíritos e afastar fantasmas. A mãe tinha-lhe confidenciado que ele tinha um dom e por isso seria entregue a um velho mago que o preparasse para enfrentar situações desfavoráveis que se adivinhavam para breve. Um dia o Mago não estava por perto e Thomas caiu numa armadilha. Será que estava preparado para o desafio? Acredito que Seventh Son, tal como outros do mesmo género como Percy Jackson, foi feito não para apelar apenas aos fãs dos livros, mas igualmente a faixas etárias mais alargadas. Isto porque o ator não tem certamente 13 anos e algumas das cenas do filme não seriam retratas da mesma maneira por um ator de 13 anos.
E aqui, passamos para o romance. Desconheço se é uma parte presente no livro, contudo, no filme, foi à velocidade da luz, mal explorado e aproveitado. Os atores fizeram um trabalho excepcional, havia química, foram perfeitos mas, de onde veio? Na minha opinião, houve uma necessidade tão grande de criar ação, de mostrar os efeitos do fantástico que se colocou para segundo plano o diálogo. São cenas de ação atrás de cenas de ação, diálogos apressadas ou forçados, o que dá obviamente, num fraco desenvolvimento da personagem principal.
Thomas Ward, o protagonista, torna-se rapidamente num herói forçado. E depois há a parte descobre-por-ti-mesmo. Se os magos são uma espécie moribunda, só resta o Mestre Gregory, e os aprendizes são sétimos filhos de sétimos filhos, na minha inocência pensei que só havia um em cada geração, mas assim que morre o primeiro que nos é apresentado, Mestre Gregory (representado de forma maravilhosa por Jeff Bridges) arranja imediatamente outro. Porque não treinar vários ao mesmo tempo? Porque não aumentar as forças? Como é que os outros filhos não têm poderes ou dons se são igualmente filhos de uma bruxa? Como é que Mestre Gregory é capaz de assassinar um urso horripilante, mas foge de uma coisa parecida com um troll que nunca ninguém matou mas que Thomas consegue matar? Como é que os melhores assassinos do mundo são tão facilmente derrotados? No fundo, trata-se de uma história mal explicada ou mal explorada, com um potencial imenso para ser desenvolvida.
Confesso que não li o livro, mas espero lê-lo ainda este ano, quanto mais não seja para apreciar a história de uma maneira mais "completa". A verdade é que é um filme visualmente apelativo, para os apreciadores de fantasia (como eu). No entanto, não esperem uma história bem desenvolvida. Mas, se gostam de acção e do universo fantástico, irão certamente apreciar o filme na sua plenitude e serão uns 103 minutos bem entregues, principalmente pela participação espectacular de Jeff Bridges.
Outros títulos da colecção: 
*As Crónicas de Wardstone - O Aprendiz do Mago - adaptação cinematográfica aqui.
*As Crónicas de Wardstone - A Maldição do Mago
*As Crónicas de Wardstone - O Segredo do Mago
*Wardstone Chronicles - Attack of the Fiend
*Wardstone Chronicles - The Spook's Mistake
*Wardstone Chronicles - The Spook's Sacrifice
*Wardstone Chronicles - Rise of the Huntress
*Wardstone Chronicles - Rage of the Fallen
*Wardstone Chronicles - I am Grimalkin
*Wardstone Chronicles - The Spook's Blood
*Wardstone Chronicles - Slither
*Wardstone Chronicles - I am Alice
*Wardstone Chronicles - The Spook's Revenge


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO